Vinho de Talha – Alentejo

 

O Vinho de Talha, fabricado segundo métodos ancestrais, é uma aposta cada vez maior dos produtores alentejanos. A fermentação é feita em ânforas de barro, algumas com mais de 100 anos.
Eco-lifestyle

Eco-lifestyle

Nature

Nature

Eco Houses

Eco Houses

Mindfulness

Mindfulness

Real Food

Real Food

Nature Lover

Nature Lover

 

O processo de produção de vinho de talha é um sistema ancestral romano de fazer vinho, onde a talha ou pote de barro, tem uma dupla finalidade, a produção e a armazenagem do vinho. Isto é, faz-se e guarda-se o vinho dentro do mesmo recipiente. Actualmente, no processo produtivo de vinho de talha, as uvas são despejadas num pequeno tegão que está acoplado com um esmagador/desengaçador, sendo desengaçadas e esmagadas, com o auxílio de uma bomba são transportadas as uvas e o sumo para dentro das talhas, onde se vai dar a fermentação. Durante 3 a 4 semanas, período de tempo em que decorre a fermentação, as massas, também chamadas de balsa, sobem à superfície da talha, sendo necessário mexer as talhas, é a operação de remontagem, que consiste em misturar o mosto com as películas e grainhas da uva, para que a parte sólida seja mergulhada na parte líquida. Concluída a fermentação e de forma lenta, dia após dia, as películas e grainhas vão caindo para o fundo da talha, formando uma manta compacta, conhecida por mãe. Esta, tem como função principal filtrar naturalmente o vinho para que fique pronto a beber, quando este sai da talha por gravidade através de um orifício que se encontra na parte inferior. O vinho de talha para ser certificado como DOP Alentejo, obrigatoriamente deverá ficar com a ‘mãe’ na talha até ao dia de S. Martinho do ano da colheita (11 de Novembro).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *